sexta-feira, abril 02, 2010

Não é história de pescador! - PréAdolescentes

O que é Parábola

A parábola, como a encontramos nos evangelhos, é um recurso didático, largamente utilizado por Jesus, a fim de elucidar as grandes verdades e mistérios do Reino de Deus. Vejamos, pois, como podemos defini-la.

  1. Definição etimológica

Originária do vocábulo grego parabolé, a referida palavra significa, etimologicamente, colocar uma coisa ao lado da outra; comparação. Não foi exatamente o que escreveu Ezequiel ao povo de Israel ao propor-lhe uma parábola? (Ez 17.2).

  1. Definição hermenêutica.

Segundo a hermenêutica, parábola é uma narrativa alegórica constituída de personagens, coisas, incidentes e atitudes que, através de comparações, facilita a compreensão de realidades que se acham além do nosso entendimento.

Exemplo: Objetivando mostrar aos seus contemporâneos o singular amor de Deus para com o pecador, o Senhor Jesus narrou-lhes a Parábola do Filho Pródigo. Doutra forma, como poderiam eles ver a Deus como o Amoroso Pai sempre pronto a receber o filho que, caindo em si, resolve retornar à casa paterna.

Os objetivos das parábolas de Jesus

Ao proferir as suas parábolas, tinha o Senhor Jesus, em mente, dois objetivos: um didático e outro teológico.
1. Objetivo Didático

Como o Mestre dos mestres, Jesus sabia perfeitamente como haveria de alcançar as ovelhas perdidas da Casa de Israel. Por isso, pôs-se a ensinar aos seus contemporâneos através de comparações. Ao falar-lhes das coisas terrenas, mostrava-lhes, com toda a clareza, as celestiais.

2.Objetivo Teológico

Além de ser o Mestre dos mestres, o Senhor Jesus era, de igual modo, a fonte de onde manam todos os mistérios do Reino de Deus. Como, porém, falar desses mistérios se a sua audiência era de gente simples?Para alcançar os seus ouvintes, foi ele comparando as coisas celestes com as terrestres, a fim de que estas esclarecessem aquelas.

Como interpretar as parábolas

Como poderá você constatar, não é difícil interpretar as parábolas. Aliás, o próprio Jesus encarregou-se de interpretar algumas aos seus discípulos (Mt 13.37,38). Basta termos em mente os seguintes passos, a fim de que possamos alcançar o seu significado:

  1. Buscar a verdade (ou verdades) que a parábola ilustra.

    A pergunta encontra-se, invariavelmente, o início ou no final do texto. Como por exemplo da Parábolada Ovelha e da Dracma perdida (Lc 15.4,8)

  2. Ater-se à essência da parábola. Ou seja: que levemos em conta os traços principais da parábola e não propriamente o seu cenário. Na parábola do Filho Pródigo, por exemplo, devemos considerar os seguintes elementos: o pai, que representa o Amoroso Deus; o filho mais novo, que ilustra o pecador espiritualmente perdido e o filo mais velho que lembra o crente inconformado com a misericórdia divina em relação ao filho que volta a usufruir dos favores imerecidos do Pai Celeste.

    Por conseguinte, não devemos nos preocupar em achar significado para os porcos, para as alfarrobas que estes comiam.

Conclusão

As parábolas de Nosso Senhor Jesus Cristo continuam tão atuais como nos dias do Novo Testamento. Atentemos aos seu ensino com todo cuidado e desvelo; pois continuam a explicar-nos os mistérios do Reino de Deus.

Fonte: Lições Bíblicas – 2º Trim. de 2005

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.

Postar um comentário